Operação Império da Lei IV transfere 13 líderes de organizações criminosas para penitenciárias federais

Em nova ação integrada entre as forças de segurança e poderes das esferas federal e estadual, 13 detentos em posição de liderança nas principais organizações criminosas que circulam no Estado foram transferidos para estabelecimentos prisionais federais. Na manhã desta quinta-feira, 15 de setembro, sob coordenação do programa RS Seguro, a operação Império da Lei IV foi deflagrada pelas Secretarias de Justiça e Sistemas Penal e Socioeducativo (SJSPS) e da Segurança Pública (SSP), com acompanhamento do Ministério Público do Rio Grande do Sul (MPRS).

“A área da segurança pública é uma das mais sensíveis à população. Portanto, medidas como esta, que visam desarticular facções criminosas, somadas a outras ações integradas e estratégicas, trazem maior eficácia no combate à criminalidade. Todos os esforços devem ser realizados neste sentido”, pontuou o subprocurador-geral de Justiça para Assuntos Institucionais do MPRS, Júlio César de Melo.

Com a participação de cerca de 300 agentes e o emprego de 30 viaturas e uma aeronave, a operação também contou com a atuação de outras instituições estaduais e federais. Pelo RS, além do MPRS, da SJSPS e da SSP, atuaram Superintendência dos Serviços Penitenciários (Susepe), Brigada Militar (BM), Polícia Civil (PC), Instituto-Geral de Perícias (IGP), Corpo de Bombeiros Militar (CBMRS) e Poder Judiciário. Pela União, além do Departamento Penitenciário Nacional (Depen), somaram-se esforços da Polícia Federal (PF) e da Polícia Rodoviária Federal (PRF). A empresa Fraport também colaborou com a logística de deslocamento da aeronave.

A ação é uma resposta ao crime organizado no Estado. É a primeira operação que os agentes penitenciários utilizaram câmeras corporais, entregues pelo Governo do Estado à Susepe no final de agosto. Os equipamentos possibilitam o armazenamento de imagens e dados em servidores remotos, com transmissão de vídeo ao vivo para uma central de monitoramento e localização via GPS.

Detalhes da operação

A ação começou na madrugada de quinta-feira, 15 de setembro, por volta das 4h, quando os detentos, que estavam na Penitenciária de Alta Segurança de Charqueadas (Pasc) e na Penitenciária Modulada Estadual de Charqueadas (PMEC), passaram por uma revista e realizaram teste de Covid-19, sendo que todos negativaram.

Por volta das 6h, as viaturas da Divisão de Segurança e Escolta (DSE) e do Grupo de Ações Especiais da Susepe (Gaes), do Comando de Policiamento de Choque (CP Chq) e do Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope) da BM, da PRF, da Polícia Civil e do Grupo de Pronta Intervenção da PF partiram da Pasc e da PMEC, que ficam no mesmo complexo em Charqueadas.

Em um comboio único, os 30 veículos percorreram o trajeto de 55 quilômetros até o Batalhão de Aviação da BM (BAV-BM), ao lado do Aeroporto Internacional Salgado Filho, onde irão realizar exames de corpo de delito pelo IGP para serem entregues aos agentes do Depen e embarcarem no avião da PF. Para eventuais emergências durante a ação, o CBMRS posicionou uma viatura de combate a incêndio na origem do trajeto, além da ambulância de resgate junto ao comboio, para possibilitar o socorro imediato na hipótese de acidentes.

A operação vem sendo organizada pelas equipes da SJSPS e da SSP desde o início do ano, planejando a remoção desses alvos. A reunião final de planejamento, com ajustes operacionais, foi realizada no dia 14 de setembro, no Centro Administrativo Fernando Ferrari (Caff).

RS Seguro

A ação dá continuidade às três etapas anteriores da Operação Império da Lei, que, em julho de 2021, março de 2020 e novembro de 2020, enviaram 34 líderes de grupos criminosos para estabelecimentos do Sistema Penitenciário Federal (SPF). Somadas as quatro etapas da Operação, já são 47 presos transferidos para unidades prisionais federais.

Fotos: Rodrigo Ziebell/Palácio Piratini

Compartilhe: